Jeep lança Compass S 4xe, modelo 4×4 híbrido plug-in

S 4xe

Compartilhe:

Um dos SUVs mais vendidos do mercado nacional, o Jeep Compass ganhou uma versão híbrida plug-in. Para quem não conhece a terminologia, os híbridos são veículos que trazem dois tipos de propulsor: um a combustão e um elétrico. E os híbridos plug-in são aqueles que permitem a recarga da bateria em uma tomada – diferentemente dos híbridos “puros”, que recarregam só através da energia obtida com as frenagens.

O Compass S 4xe tem uma potência combinada de 240 cv, vai de 0 a 100 km/h em 6,8 segundos e, segundo a Jeep, “tem consumo urbano de 25,4 km/l e possibilidade de rodar quase 50 km de forma 100% elétrica, com recarga em menos de duas horas”. Com pronúncia sugerida de “four by e” (você acredita que algúem vai usar esse nome complicado, caro leitor, ao invés de chamar simpleste de “quatro xis e”?) é o primeiro, de acordo com a fábrica, de uma série de produtos eletrificados que ela reserva para o Brasil.

O modelo é equipado para trechos off road, com sistema de tração nas quatro rodas com as funções HDC (controle eletrônico de descidas), função 4WD Lock (4×4 com bloqueio de diferencial) e 4WD Low (4×4 reduzida). O “S” do nome vem da Série S, a mais completa da gama do modelo, que não inclui opcionais e não tem cobrança de cor.

Para diferenciar o S 4xe das outras versões do Compass, a Jeep decidiu por quatro cores exclusivas para ele: Prata, Preto, Branco e Azul. A cor azul também está presente em torno dos badges “Jeep” e “Compass” no capô, portas dianteiras e porta-malas. Na traseira também fica o logotipo “4xe”, que tem a última letra pintada também em azul. E por dentro, a cabine recebeu costuras exclusivas. Outra diferença no interior é a presença de novos comandos ao redor do motorista para ajustar o sistema de propulsão elétrica.

O motor a combustão é o T270 turbo movido a gasolina com 180 cv de potência e 270 Nm de torque. Ele funciona com um câmbio automático de seis marchas e e conta com um motor elétrico que também cumpre a função de gerador. Esse conjunto gera tração no eixo dianteiro e também produz eletricidade para as baterias.

No eixo traseiro fica o segundo motor elétrico, capaz de gerar 60 cv e 250 Nm de torque — que está disponível em qualquer rotação. Esse conjunto compacto é conectado diretamente ao eixo traseiro, permitindo que o Compass 4xe híbrido plug-in mantenha a tração nas quatro rodas ao mesmo tempo em que dispensa o eixo cardã (conexão entre o motor dianteiro e o eixo traseiro).

A gestão eletrônica garante que o veículo tenha tração nas quatro rodas sempre que necessário. Se a bateria estiver com baixa carga, o motor dianteiro gera energia elétrica para ser enviada ao conjunto traseiro. Parte do espaço originalmente destinado ao eixo cardã é ocupado pela bateria de alta tensão, que também fica sob os bancos traseiros.
Essa configuração permitiu não alterar o espaço interno do modelo.

A bateria tem tensão de 400 Volts, refrigeração independente e possui inversor de corrente integrado. O conjunto fica dentro de um invólucro metálico que serve como proteção contra elementos externos, incluindo imersão na água. As baterias têm capacidade total de 11,4 kWh, possibilitando uma autonomia 100% elétrica de até 44 quilômetros.

De acordo com a Jeep, “pelo Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular (PBEV), o Compass 4xe híbrido plug-in alcança um consumo urbano de 25,4 km/l, com autonomia de 927 quilômetros. Na rodovia, pelos mesmos padrões, o consumo é de 24,2 km/l”.

O painel de instrumentos é digital de 10,25 polegadas e o carro vem com sistema multimídia Adventure Intelligence de 10,1 polegadas com Android Auto e Apple Carplay sem fio.

 

Jeep lança Compass S 4xe, modelo 4x4 híbrido plug-in

 

Jeep lança Compass S 4xe, modelo 4x4 híbrido plug-in

 

Modos de condução do Compass S 4xe

No modo Auto, o carro analisa continuamente dados como velocidade, inclinação e aderência. O modo Snow (neve) é voltado para condução em pisos muito escorregadios, adequando o conjunto mecânico para situações de baixíssima aderência. No modo Sand/Mud (areia/lama), o modelo fica pronto para trilhas enlameadas ou com piso macio. Por fim, o modo Sport dá destaque ao desempenho.

Além dessas configurações, o Compass 4xe inclui duas funcionalidades:
– Electric
Neste modo, o Compass 4xe roda só com o motor elétrico traseiro. Com essa configuração é possível acelerar a até 130 km/h e rodar 44 quilômetros. O motor térmico só entra em ação caso o motorista pise fundo no acelerador ou a bateria chegue ao nível mínimo de carga.

– e-Save
Essa configuração tem dois modos de funcionamento. No modo passivo, a central eletrônica usa a frenagem regenerativa e o motor térmico para evitar que a bateria saia do nível de carga atual. Já o modo ativo usa o motor elétrico acoplado ao conjunto a combustão para carregar a bateria sem que o motorista precise se preocupar em encontrar uma estação de recarga. No modo e-Save ativo a bateria pode ser recarregada automaticamente até chegar a 80%.

Como acontece em todos os carros híbridos, a frenagem regenerativa funciona quando o motorista pisa no freio de forma suave. O gerenciamento eletrônico usa os próprios motores elétricos para gerar energia. Dessa forma, além de recarregar a bateria, é possível reduzir a velocidade do veículo sem a necessidade de acionar os freios a disco tradicionais.

Esse comportamento pode ser intensificado ao acionar um sistema chamado e-Coasting, disponível no modelo. Ao ser ativado, ele amplia a regeneração de energia em desacelerações. O e-Coasting tem dois modos de funcionamento, suave e intenso. Este último aumenta ainda mais a transformação de energia cinética em elétrica nas desacelerações, permitindo até, em alguns casos, que seja possível dirigir o Compass 4xe sem pisar no freio. Caso o motorista freie de forma mais forte ou a frenagem autônoma de emergência (AEB) identifique o risco de colisão, os freios a disco nas quatro rodas são acionados normalmente.

Jeep lança Compass S 4xe, modelo 4x4 híbrido plug-in

Recarga do S 4xe

É possível repor a energia da bateria de duas maneiras. A primeira é usando o carregador doméstico portátil incluso no modelo e conectado a uma tomada de 110V/220V de três pinos. Nesse modo, o tempo é de quatro a 20 horas, dependendo da tensão escolhida. Os clientes também podem optar por um carregador de parede (Wallbox) da Weg ou EnelX (ambos homologados pela marca). O aparelho dispensa instalação trifásica e tem potência de 7,4 kW, possibilitando a recarga completa em 100 minutos, no modo mais rápido, ou em nove horas, no mais lento.

Tecnologia e segurança a bordo
Sendo da Série S, o 4xe reúne não tem opcionais. Entre os destaques, ele traz teto-solar panorâmico, faróis com facho alto automático, assistente de estacionamento semi autônomo, sistema ADAS com controlador de velocidade adaptativo, alerta de mudança de faixa com correção, leitor automático de placas, alerta de veículo no ponto cego e frenagem autônoma de emergência com detecção de pedestres, ciclistas ou motociclistas e sete airbags.

O pacote inclui ainda sistema de visão 360 graus: usando câmeras posicionadas sob os retrovisores, na grade do radiador e na tampa do porta-malas, o motorista pode ter uma visão panorâmica ao redor do carro. Outro recurso é o sistema de som Alpine com 8 alto-falantes, subwoofer e 506 Watts de potência. A segunda fileira de bancos conta com uma saída de ar condicionado no console central e assentos tripartidos.

A central multimídia Adventure Intelligence de 10,1 polegadas tem integração com Android Auto e Apple Carplay sem fio. Além disso, o Compass 4xe traz quatro conectores USB, incluindo dois do tipo C, para recarga de smartphones. Os que estão localizados no painel ainda possuem ligação com a central multimídia.

Graças à conexão via internet integrada ao veículo, o motorista pode consultar a autonomia, checar detalhes do consumo, programar e ver o tempo de recarga e até ativar o ar condicionado à distância a partir de um smartphone ou usando a assistente virtual Alexa. A plataforma conectada Adventure Intelligence recebeu recursos especialmente voltados para a eletrificação:

– Recarregue Agora: permite iniciar automaticamente a recarga se o veículo já estiver plugado em uma estação de recarga, com o toque em único botão (smartphone, smartwatch ou central multimídia)

– Programação de Recarga: permite definir uma agenda escolhendo a data e o horário de início e término da recarga, dia da semana e a recorrência.

– Programação de Climatização: é possível definir uma agenda escolhendo a data e o horário de início do seu percurso, dia da semana e a recorrência.

– Telas do Veículo Híbrido: traz informações como Preferências de recarga (manutenção de carga da bateria ou recarga através do motor térmico), Cronograma de recarga (planejamento do cronograma de recarga no período mais conveniente), Fluxo de energia (mede o uso/saída atual de energia para o motor, bateria e clima em quilowatt) e Histórico de direção (geração de relatório diário em km rodados do modo de condução elétrico x modo de condução híbrido).

– Configurações de nível de recarga (apenas na central multimídia): permite escolher entre cinco diferentes níveis de recarga relacionadas a cinco distintos tipos de correntes e, assim, cinco potências de cargas associadas.

Importado da Itália, o Jeep Compass S 4xe híbrido plug-in tem preço sugerido de R$ 349.990. Certamente os consumidores não vão tirar essa diferença de preço, em relação às outras versões, na economia de combustível. Além disso, quem compra um carro desse preço não está muito preocupado com o valor do litro de gasolina. De qualquer forma, não deixa de ser um passo importante, para o mercado brasileiro, em sua lenta mudança para a produção de veículos menos poluentes.

Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Mais conteúdo para você

Relacionados

e-tech

Renault E-Tech traz Kwid elétrico e novos carros para 2023

A Renault realiza, entre os dias 5 e 9 de setembro, o Renault E-Tech, evento de divulgação da estratégia da montadora para investimento em veículos elétricos. Um dos principais atrativos é o lançamento oficial e início das vendas do Kwid E-Tech, versão 100% elétrica do compacto mais “barato” que a empresa comercializa no Brasil desde 2017.  Além disso, a Renault trouxe para exposição outros modelos que fazem parte da estratégia e também estarão disponíveis no Brasil: o Megane E-Tech, a van Master E-Tech e o Kangoo E-Tech . “Os três veículos chegarão no primeiro semestre de 2023”, promete a fábrica. A pré-venda do Kwid E-Tech começou em abril e, de

audi

Audi estará na Fórmula 1 a partir de 2026

Ícone mundial do automobilismo de alta performance, a montadora alemã Audi anunciou que estará na Fórmula 1 a partir de 2026. Ao que tudo indica, a decisão tem a ver com a meta de associar sua marca com a série de novidades que a competição irá implantar a partir daquele ano, quando novas regras técnicas serão aplicadas para deixa-la mais sustentável. Dentre as mudanças previstas estão o uso de combustíveis sintéticos (hidrogênio, por exemplo) e motores híbridos. “Além disso, a Fórmula 1 estabeleceu a meta ambiciosa de ser uma competição neutra em carbono até 2030”, acrescenta a Audi, justificando seu interesse em fazer parte do desenvolvimento das novas tecnologias. Vale

novo c3

Novo Citroën C3 tem preço a partir de R$ 68.990 sem pintura metálica

“Acessível, inovador, prático, inteligente e com atitude SUV”. Foi assim, sem economizar nos adjetivos e juizos de valor (como é típico das montadoras), que a Citroën anunciou a chegada do novo C3, sobre o qual já falamos. Primeiro de uma família de três modelos desenvolvidos e fabricados na América do Sul, o carro representa, segundo a fábrica, uma “nova fase” sua no Brasil depois de uma trajetória meio errática que deixou seus carros com fama de caros e complicados de manter. Um dos destaques dados pela Citroën é que o novo C3 está posicionado na faixa de preço próxima de modelos menores, mas com um porte que o aproxima um

fluido veicular

Fluido veicular: conheça os 6 tipos que seu carro tem

Fluido veicular – Para quem não sabe, é possível fazer um paralelo entre os princípios de funcionamento de um carro e do corpo humano. Na geração de energia, por exemplo, nós precisamos do oxigênio e de alimentos. Os veículos também usam oxigênio no seu processo, e o combustível entra como o segundo componente, no lugar da nossa comida. E também como acontece com os seres humanos, fluidos são essenciais para todos os meios de locomoção motorizados. Assim como nós não passamos mais que três dias sem água, um veículo simplesmente para de funcionar se não estiver com os componentes líquidos que precisa para se mover. De acordo com a divisão

Assine

Recebe novidades e ofertas de nossos parceiros na integra em seu e-mail