Ford irá oferecer TV “a cabo” no carro – mas nos Estados Unidos

Ford Expedition

Compartilhe:

Que tal assistir a série favorita do Netflix durante uma viagem ou nos engarrafamentos cotidianos fazendo streaming em tempo real? Enquanto no Brasil o nosso medo é que limitem a banda larga fixa, a Ford dos Estados Unidos anuncia que, em 2018, o modelo Ford Expedition, um SUV de luxo comercializado por lá, vai sair de fábrica, em todas as versões, com essa tecnologia. Segundo a montadora, os modelos terão embarcado o aplicativo SlingPlayer. Ele permite a conexão, via 4G ou satélite, com o aparelho Slingbox, que fica instalado na casa do motorista.

Ford Expedition
Ford Expedition

Obviamente, o sistema pressupõe uma conexão banda larga móvel de qualidade e barata, coisa absolutamente impensável para os brasileiros mas que já é uma realidade para os norte-americanos. Não bastasse tudo isso, o Expedition suporta uma conexão wi-fi para até dez dispositivos de uma só vez. Os vídeos podem ser assistidos em monitores de oito polegadas instalados no encosto de cabeça dos bancos dianteiros. É possível ver até programas ao vivo, mudar os canais, tudo como se os usuários estivessem em casa. O controle é feito através de dispositivos móveis (tablets ou smartphones).

Além do streaming de vídeos, outras fontes, como leitor de DVD, HDMI, USB e cartão SD ou um smartphone Android com streaming Miracast, podem ser ligadas ao equipamento. É possível ainda transmitir vídeo para os monitores usando o aplicativo SmartStream em aparelhos compatíveis iOS ou Android.

Os passageiros da terceira fileira (o Expedition é um SUV gigante com capacidade para até oito pessoas) poderão optar por navegar na Internet ou também assistir os vídeos. O que estiver sendo exibido em qualquer uma das duas telas pode ser visto em até três dispositivos móveis ao mesmo tempo. Além disso, a entrada HDMI permite jogar videogames e as entradas USB também funcionam como ponto de carga para celulares.

O sistema inclui dois fones de ouvido sem fio, que podem ser emparelhados com qualquer uma das telas, além de entradas adicionais para os passageiros. Quando todos estão assistindo ao mesmo programa, há a opção de ouvir o som pelo sistema de áudio do veículo. As telas traseiras contam com três modos de controle: por botões de toque, por dois controles remotos ou por um aplicativo em smartphones iOS ou Android. O motorista e o passageiro da frente têm o controle do que é exibido nelas, por meio da tela do SYNC.

TV a cabo no Ford Expedition, fim dos CDs no Ecosport norte-americano

De acordo com a Ford, pesquisas mostram que um em cada três consumidores dos Estados Unidos, atualmente, ouve música em streaming. De olho nessa tendência, a montadora está substituindo o tocador de CD no Ecosport – o que é fabricado e vendido lá nos Estados Unidos – por tecnologias que permitem mais opções sob demanda.

De acordo com um relatório da Nielsen, o consumo de música digital, tanto por download como via streaming, cresceu 15% no ano passado. Já as vendas de mídias físicas, incluindo CDs, caíram 10% – os discos de vinil, em alta, são a exceção. Com isso, a IHS Automotive projeta que 46% dos veículos vendidos na América do Norte não terão tocador de CD em 2021.

Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Mais conteúdo para você

Relacionados

e-tech

Renault E-Tech traz Kwid elétrico e novos carros para 2023

A Renault realiza, entre os dias 5 e 9 de setembro, o Renault E-Tech, evento de divulgação da estratégia da montadora para investimento em veículos elétricos. Um dos principais atrativos é o lançamento oficial e início das vendas do Kwid E-Tech, versão 100% elétrica do compacto mais “barato” que a empresa comercializa no Brasil desde 2017.  Além disso, a Renault trouxe para exposição outros modelos que fazem parte da estratégia e também estarão disponíveis no Brasil: o Megane E-Tech, a van Master E-Tech e o Kangoo E-Tech . “Os três veículos chegarão no primeiro semestre de 2023”, promete a fábrica. A pré-venda do Kwid E-Tech começou em abril e, de

audi

Audi estará na Fórmula 1 a partir de 2026

Ícone mundial do automobilismo de alta performance, a montadora alemã Audi anunciou que estará na Fórmula 1 a partir de 2026. Ao que tudo indica, a decisão tem a ver com a meta de associar sua marca com a série de novidades que a competição irá implantar a partir daquele ano, quando novas regras técnicas serão aplicadas para deixa-la mais sustentável. Dentre as mudanças previstas estão o uso de combustíveis sintéticos (hidrogênio, por exemplo) e motores híbridos. “Além disso, a Fórmula 1 estabeleceu a meta ambiciosa de ser uma competição neutra em carbono até 2030”, acrescenta a Audi, justificando seu interesse em fazer parte do desenvolvimento das novas tecnologias. Vale

novo c3

Novo Citroën C3 tem preço a partir de R$ 68.990 sem pintura metálica

“Acessível, inovador, prático, inteligente e com atitude SUV”. Foi assim, sem economizar nos adjetivos e juizos de valor (como é típico das montadoras), que a Citroën anunciou a chegada do novo C3, sobre o qual já falamos. Primeiro de uma família de três modelos desenvolvidos e fabricados na América do Sul, o carro representa, segundo a fábrica, uma “nova fase” sua no Brasil depois de uma trajetória meio errática que deixou seus carros com fama de caros e complicados de manter. Um dos destaques dados pela Citroën é que o novo C3 está posicionado na faixa de preço próxima de modelos menores, mas com um porte que o aproxima um

fluido veicular

Fluido veicular: conheça os 6 tipos que seu carro tem

Fluido veicular – Para quem não sabe, é possível fazer um paralelo entre os princípios de funcionamento de um carro e do corpo humano. Na geração de energia, por exemplo, nós precisamos do oxigênio e de alimentos. Os veículos também usam oxigênio no seu processo, e o combustível entra como o segundo componente, no lugar da nossa comida. E também como acontece com os seres humanos, fluidos são essenciais para todos os meios de locomoção motorizados. Assim como nós não passamos mais que três dias sem água, um veículo simplesmente para de funcionar se não estiver com os componentes líquidos que precisa para se mover. De acordo com a divisão

Assine

Recebe novidades e ofertas de nossos parceiros na integra em seu e-mail