Combustível aditivado: saiba mais sobre ele

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Shell V-Power, Ipiranga DT Clean, Petrobras Grid, Ale Plus. Todas as grandes redes de postos têm um combustível aditivado. No entanto, ao contrário do que sugerem nomes como “Power” e “Grid”, usados por Shell e Petrobras, por exemplo, uma gasolina aditivada não vai transformar o carro em um bólido de corridas.

A função dos aditivos é ajudar a manter componentes do motor livres de resíduos. Pelo menos em parte, já que é difícil deixar tudo 100% puro. Esses resíduos são resultantes do processo de funcionamento do motor ao longo dos anos. E eles podem afetar peças como bicos injetores, pistões e outras partes internas que estão envolvidos no processo de queima de combustível e da movimentação que vai impulsionar o veículo.

 

O combustível aditivado pode fazer a diferença para alguns componentes
Veja a diferença entre uma peça coberta de resíduos e uma limpa

 

Apesar de não serem explicitamente recomendados pelas montadoras, os combustíveis aditivados tampouco são desaconselhados por elas. Consultamos alguns manuais e vimos que em alguns casos não há nem referência ao tipo de gasolina ou álcool usados.

Encontramos apenas recomendações de que o combustível pode ser aditivado, desde que seja de qualidade e dentro das especificações estabelecidas pelos órgãos de controle do País. Mas você sabe como usar esse tipo de combustível da forma correta? Confira algumas dicas que reunimos com base em informações fornecidas pela Shell:

Grau de pureza

Sobre esse tema, é preciso ressaltar que a única diferença entre o combustível aditivado e o “comum” é a adição de produtos químicos que servem como detergentes e anticorrosivos. Como o próprio nome diz, são elementos apenas adicionados, que não alteram a composição química original. O que define a qualidade da gasolina, na verdade, é o processo de refinamento. É nele que o teor de pureza é definido.

 

Aumento de potência

– Em relação a um suposto “poder” da gasolina aditivada de aumentar a potência do motor, saiba que ele não existe. Como dissemos, os aditivos servem para limpar o sistema de injeção e componentes como válvulas e pistões e proteger contra a corrosão. Isso pode até trazer um melhor rendimento do motor, mas não diferenças significativas no desempenho. O que traz esse benefício são as gasolinas com maior octanagem. Exemplos delas são a Shell V-Power Racing e a Petrobras Podium.

Falhas no motor

Colocar combustível aditivado em um veículo que só usa o tipo “comum” há vários anos não irá causar, necessariamente, problemas de funcionamento no motor. Mas há o risco de que fragmentos de sujeira que estejam acumulados se soltem após a ação dos aditivos. E eles podem acabar indo parar em algum compartimento. Por isso, o ideal é fazer manutenções preventivas, levando o carro para revisões. Esse cuidado irá permitir saber o real estado do motor e com isso o mecânico poderá dizer se há ou não risco no uso de combustível aditivado.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Mais conteúdo para você

Relacionados

eletrificação automotiva

BMW e Porsche avançam (ainda mais) na eletrificação automotiva

O futuro da eletrificação automotiva no mundo, ainda às voltas com desafios relacionados a tempo de recarga e extração de minérios para as baterias, por exemplo, é uma incógnita. Mas é fato que nos países desenvolvidos as grandes empresas seguem investindo para aprimorar seus produtos. Dois casos recentes na Alemanha dão conta do que está sendo feito para tornar o uso de veículos 100% elétricos mais próximo da realidade de muitos consumidores. No primeiro caso, o BMW Group inaugurou, na Alemanha, a sua segunda linha de produção de módulos para baterias. Os produtos serão direcionados ao i4, modelo totalmente elétrico fabricado naquele país. A expansão ocorre um ano depois da

kwid

Kwid chega a mais de 300 mil unidades emplacadas no Brasil

Kwid – Com as reviravoltas do mercado brasileiro, que foi inundado por SUVs e está diminuindo cada vez mais as opções de carros de entrada (não temos mais, por exemplo, o Fiat Uno, o Nissan March nem o Toyota Etios, e o Renault Sandero vai sair de linha), o ultracompacto Renault Kwid foi um dos poucos que restaram nessa faixa. E o resultado de como esses veículos ainda continuam necessários está em um dado que a Renault divulgou: lançado no início de agosto de 2017, o Kwid ultrapassou a marca de 300 mil unidades vendidas. Descrito pela montadora, com certo exagero, como “o primeiro SUV compacto urbano” o Kwid consegue

Citroën C3

Novo Citroën C3 chega em 2022 com promessa de boa relação custo-benefício

Citroën C3 – País onde o carro, historicamente, é mais um símbolo de status do que um meio de transporte, o Brasil padece de um mal no mercado automotivo: a esmagadora maioria dos consumidores sonha em ter um SUV na sua garagem. Muitos preferem, aliás, um modelo desse tipo mais velho (e consequentemente com manutenção mais cara) do que um modelo mais novo de um hatch ou uma perua mais espaçosos. É por isso, inclusive, que opções como a Spacefox, da Volkswagen, ou a Toyota Fielder não emplacaram por aqui. Um detalhe: a Fielder era apenas um derivado do sedan Corolla, que segue vendendo muito bem. Ou seja, tinha custo

Jetta GLI

Jetta GLI: versão única esportiva por quase R$ 217 mil

Jetta GLI – No segmento de sedans médios, no qual o Toyota Corolla reina quase absoluto, com mais de 9 mil unidades vendidas no primeiro trimestre de 2022, o Volkswagen Jetta teve emplacadas, no mesmo período, apenas 41 carros. E esse quadro, para o modelo, não deve mudar muito com a chegada de sua nova versão, a GLI, que foi apresentada hoje. Com preço sugerido de R$ 216.990,00, o carro tem atributos como o motor 350 TSI de quatro cilindros de 231 cv de potência e 35,7 kgfm de torque com baixas rotações (já a 1.500 rpm), transmissão de dupla embreagem DSG com sete marchas e aceleração de 0 a

Assine

Recebe novidades e ofertas de nossos parceiros na integra em seu e-mail